As estratégias do Marketing Invisível

Outro dia postei na fan page do blog um texto que li a respeito do Instagram da Gabriela Pugliesi, a blogueira fitness do Tips 4 Life que conquistou uma legião de fãs e hoje usa as redes sociais para vender um estilo de vida, além de produtos como suplementos alimentares e roupas de ginástica. Que não leu, pode clicar nesse link aqui. Como rendeu um bate papo bacana por lá, resolvi estender a discussão aqui no blog.

Gabriela Pugliesi: Corpo perfeito na praia perfeita

Gabriela Pugliesi: corpo perfeito na praia perfeita

Poucos dias antes de postar o texto, eu tinha assistido o filme Amor por Contrato (“The Joneses”), de 2009. Apesar de não ser tão recente, o longa fala exatamente desse marketing invisível que trabalha com o emocional das pessoas, através do status e da personalidade de cada um. A ideia dessa publicidade escondida é mostrar para os outros um estilo de vida no qual outras pessoas vão se identificar, desejar e, mais importante, propagar. É uma reação em cadeia que é muito eficiente do ponto de vista comercial, porque não vende o produto, e sim um conceito atribuído com uma identificação pessoal.

No filme, uma família aparentemente perfeita – bonitos, ricos, populares e confiantes – moram em uma mansão em um bairro de luxo, possuem os melhores aparelhos eletrônicos e carros de primeira linha. A família, que na verdade é uma equipe de vendas de uma grande empresa disfarçada, trabalha duro para conseguir despertar o interesse dos vizinhos, que acabam adquirindo todos os produtos que eles tem. Os próprios vizinhos acabam virando garotos propagandas da empresa, pois também recomendam para outros conhecidos a “dica de ouro” que até então só eles conheciam. Bum! Reação em cadeia que dá certo.

Família Jones: mansão e artigos de luxo para atrair os vizinhos

Família Jones: mansão e artigos de luxo para atrair os vizinhos

Se analisarmos as it bloggers em suas redes sociais, é exatamente isso que elas estão fazendo. Tudo bem que elas não enganam ninguém, a gente sabe muito bem que esse é o trabalho delas e que elas ganham muito para vestir a roupa X ou comer a tapioca Y. E de certa forma, hoje elas tem a liberdade de fazer o que gostam e escolher a dedo as parcerias para divulgar. Mas é incrível ver o poder de influência que elas tem sobre as pessoas, assim como a família Jones tinha no filme.

Se não acredita nisso, vá a uma academia e pergunte quantas garotas seguem as dicas da Pugliesi no Instagram. Ou ligue para uma loja e pergunte sobre a blusa que a Thássia Naves vestiu na semana passada. Aposto que já esgotou! E a gente pode ir mais longe… As Ilhas Maldivas viraram destino preferido (para quem pode desembolsar um pouquinho mais) depois que muitas blogueiras foram para lá, assim como passar Réveillon em Trancoso, na Bahia, é a grande sensação brasileira. Fazer yoga e pilates agora é bacanérrimo, mas só se postar foto das posições mais difíceis, preferencialmente com um plano de fundo bem bonito… E tomar suco verde então, ahhh, isso é essencial.

Andar de patins domingo no Mineirão virou programa preferido de muita gente, inclusive da Lu, do Chata de Galocha

Lu Ferreira aderiu ao patins no Mineirão, programão de domingo em BH

Antes que me chamem de hipócrita, eu também já fiz (e ainda faço!) muito tudo isso. É quase automático a gente inserir algumas coisas na nossa vida depois de alguma boa recomendação, seja de um amigo próximo ou de uma blogueira famosa. A grande questão é sempre aquele cuidado de absorver de qualquer pessoa ou qualquer informação aquilo que realmente tem algum sentido para você. Quem gosta de tapioca não precisa deixar de comer só porque virou a sensação do momento, assim como quem adora academia não vai deixar de malhar (treinar é só pra atleta, minha gente!) porque hoje existe uma geração fitness pesada. Mas você não precisa se sentir na obrigação de fazer, só porque alguém falou que é legal e que agora todo mundo faz.

Hoje a gente consome informação em todos os lugares, e as empresas se aproveitam disso para expor a marca e seus produtos de forma sutil e pouco invasiva. Elas estão presentes no dia a dia de cada um e, quando você se der conta, já incorporou isso na sua vida. Por isso, cuidado para não ser devorado. Pense bem antes de engolir qualquer coisa que está na sua frente. O marketing invisível está mais forte do que nunca e só tende a piorar. Quem não viu o filme, eu recomendo. Ajuda bem a clarear as ideias sobre esse consumo inconsciente!

Ps.: Para deixar claro, aqui no Sistemáticas também rola parceria e publicidade de marcas que eu conheço, gosto ou acredito. Todas as recomendações feitas por minha conta levam a tag “Dica da Sis” e todos os anúncios recebem as tags “Publicidade” ou “Parceria”, de acordo com o contrato de divulgação que foi fechado. 

Anúncios

2 pensamentos sobre “As estratégias do Marketing Invisível

Comente!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s