(Re)visitando Inhotim!

Falei mais cedo sobre um passeio que fiz ao Inhotim esse final de semana, né?! Muita gente de BH e região com certeza já conhece ou ouviu falar do local, mas para quem mora fora ou para quem não conhece, Inhotim foi idealizado pelo empresário Bernardo Paz, e era uma propriedade particular que foi se transformando com o tempo até se tornar um dos maiores espaços culturais do Brasil, com diversas galerias de arte contemporânea espalhadas em meio às paisagens de Roberto Burle Marx.

Inhotim

Inhotim

Paisagismo: Burle Marx

Paisagismo: Burle Marx

Inhotim possui hoje aproximadamente 70 obras em exposição, sendo que alguns trabalhos estão permanentemente instalados, enquanto outros são expostos em galerias que abrigam obras temporárias. Além disso, existem obras expostas ao ar livre, em meio ao jardins ou imersas na mata. É um lugar extremamente lindo, que permite aos visitantes vivenciar diversas experiências visuais e sensoriais.

Inhotim: Galeria Adriana Varejão

Galeria Adriana Varejão

inhotim-obra-ao-ar-livre

Obra sem título

Apesar de ser muito grande, não existe um percurso linear obrigatório, ou seja, você pode visitar o que for de seu maior interesse. Já fui lá duas vezes e tive oportunidade de conhecer quase todo o complexo nas minhas duas visitas. Existem obras de todos os estilos e, claro, umas agradam mais que outras… existem aquelas que te fazem refletir, sentir medo, se divertir, se fascinar ou simplesmente se perguntar “em que planeta isso é arte?”.

Inhotim: Galeria O Som da Terra

Galeria O Som da Terra

Inhotim: Galeria Cosmococas

Galeria Cosmococas

Em meio a tanta maluquice e criatividade, algumas obras se destacam: O Som da Terra está localizado no alto de uma montanha e através de um buraco de 220m e seis microfones geológicos instalados em meio a ele é possível ouvir sons emitidos no interior da Terra. Bizarro! A Cosmococas é uma das obras mais divertidas que conheci. Cada sala da galeria é um espaço sensorial diferente, com trilhas sonoras que vão de Dominguinhos a Jimmy Hendrix, redes, balões, espumas que formam um pula pula gigante e – SIM – uma piscina onde é permitido nadar. Outra que me surpreendeu foi a De Lama Lâmina, um caleidoscópio gigante no meio de uma plantação de eucalipto que traz uma reflexão sobre guerra x tecnologia x natureza.

Inhotim: Troca Troca (fuscas coloridos)

Troca Troca (fuscas coloridos) e minha pessoa divando!

Inhotim: True Rouge

Obra True Rouge

Os fuscas coloridos já são uma atração famosa de Inhotim, assim como a obra True Rouge, onde uma bagunça organizada de madeira, fios, tinta vermelha, esponjas do mar, bolas de sinuca e até bucha de banho se misturam a uma linda paisagem com um espelho d’água logo em frente. Outra que visitei duas vezes e iria de novo é o Iglu de fibra de vidro, onde com efeitos de luz é possível ver uma fonte de água em câmera lenta, como se fosse fotografia ou pintura.

Impossível falar de tudo em um post só, mas tentei ressaltar o que tem de melhor no local. Alguém mais já foi? Qual obra recomendam? Comentem!

Anúncios

Comente!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s