A ditadura da magreza, que mata!

Na última semana uma tuiteira bem conhecida, Dai Dornelles, morreu devido a uma hepatite viral, que se desenvolveu por causa da sua anorexia. A garota, que tinha muitos seguidores e recebia inúmeros likes por dia, era incentivada por muitos com curtidas e comentários nas suas fotos extremamente magra com barriga negativa e pernas super finas. Mesmo que de forma inconsciente, seus seguidores a motivavam a seguir com esse “estilo de vida”.

O antigo Instagram de Dai Dornellas

O antigo Instagram de Dai Dornelles

Não é de hoje que vemos discussões em torno de distúrbios alimentares que fazem parte do cotidiano de muita gente, e a culpa disso muitas vezes cai no mundo da moda ou nos padrões de beleza impostos pela mídia. Porém, esquecemos que somos nós quem damos “ibope” para tudo isso. Com as redes sociais, a troca de informações ficou muito mais fácil, e cada clique duplo no Instagram ou RT em um tweet está contribuindo de certa forma para essa ditadura da magreza que leva muita gente, principalmente mulheres, à morte.

Foto de Dai Dornellas no Instagram recebeu 138 likes

Foto de Dai Dornelles no Instagram recebeu 138 likes

No próprio Instagram da Dai Dornelles – que não existe mais – haviam comentários do tipo “O que você faz para ter essa barriga? Xonei” ou “Olhei essa foto e pensei: ainda dá tempo de vomitar a janta, obrigada”. A mesma foto que recebeu esses comentários ganhou 138 likes. Consciente das curtidas ou não, essas 138 pessoas ajudaram a garota a se sentir melhor consigo mesmo e a acreditar que estava certa em levar adiante a sua doença. Anorexia e bulimia são doenças sérias, ao contrário do que muita gente pensa. Quem sofre com esses distúrbios tem uma visão distorcida a respeito de si mesmo, e nunca está magra e bonita o suficiente. Porém, ao receber 138 likes em uma foto de uma barriga com ossos da costela aparecendo, essa visão parece mais certa do que nunca.

anorexia

Postar foto na academia, em cima de uma bola, com o look do dia em roupas de ginástica virou moda. Tá na moda cuidar da saúde, do corpo, da pele. Porém tem muita gente confundindo o que tá na moda com o bem estar próprio. Tem gente magra abusando de dieta, tem gente bonita estragando o próprio corpo com tanto exercício físico. E tem gente alienada o suficiente para achar tudo isso legal e sair curtindo e compartilhando essas ideias pela rede.

Por isso, deixo aqui o meu apelo. Ser magra é legal, mas ter saúde é melhor. Vamos colocar a mão na consciência, ter mais discernimento entre as coisas. Nem tudo que parece legal é o certo e faz bem. Essa ideia glamurosa de uma magreza fora dos padrões reais leva à morte. Por isso, se você conhece alguém com transtorno alimentar, entre em contato com o AMBULIM (Ambulatório de Bulimia e Transtornos Alimentares do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas). O centro é o maior do Brasil e América Latina especializado nesses distúrbios e oferece tratamentos gratuitos. Passou da hora de lutar contra essa doença! Faça sua parte =)

Fonte: YouPix – Texto: Sistemáticas

Anúncios

4 pensamentos sobre “A ditadura da magreza, que mata!

  1. Corpo e forma física são coisas muito pessoais, cada um tem um estilo, constituição e genética e cada um deveria cuidar de si respeitando sempre estes pilares afinal não somos feitos em escala. Ficar lutando em busca de um padrão de beleza imposto pode gerar disfunções e transtornos alimentares, por isso é importante ser crítica e pensar antes de incentivar dietas malucas rituais de obsessões ao corpo.

    Gostar

  2. Eu também escrevi sobre… É muito triste!

    Me incomoda, principalmente, que muitas pessoas não considerem ana uma doença e pensam que é bobagem de adolescente.

    A internet é uma ferramenta muito poderosa e pode ser muito cruel. Em muitas fotos, a Dai parece uma pessoa saudável. Ela tinha um rosto lindo. Então, se você não acompanhou ou fuçou fotos antigas e legendas, poderia ter acabado curtindo uma foto dela, sem saber que estava dando apoio a uma pessoa doente.

    Me incomoda também que depois da morte dela, e de muitas outras, ignorantes apareçam para zombar. É uma doença muito triste e muito perigosa.

    Hoje, eu fico até feliz com a “nova onda” de vida saudável… Mas já percebo que muitos estão mesmo indo para o lado do exagero. Gente cortando alimentos sem precisar cortar, malhando demais e buscando objetivos que não condizem com o biotipo… Complicado.

    Gostar

Comente!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s